Saúde

A Secretaria de Saúde reforça cuidados e prevenção ao escorpião.

Em 2018, Itapetinga registrou 158 casos de acidentes com escorpião. Neste ano, até o mês de julho, tivemos 75 casos notificados. Buscando evitar novos casos, a Secretaria de Saúde, por meio de Vigilância Epidemiológica, vem reforçando cuidados e orientando a população. Segundo o Coordenador de Endemias, Márcio Ribeiro, a maioria dos acidentes desse tipo é causada pelo escorpião Tityus serrulatus (o amarelo).

O escorpião amarelo tem por características pernas e cauda amarela-clara e o tronco escuro e cerca de 7 centímetros de comprimento. O veneno é injetado por um ferrão na ponta da cauda. Sua reprodução pode ser partenogenética, ou seja, a fêmea não precisa do macho para fecundação, podendo gerar até 20 filhotes por vez.

A picada do escorpião, na maioria das vezes, causa poucos sintomas, como vermelhidão, inchaço e dor no local afetado que dura de algumas horas até dois dias. Entretanto, alguns casos podem ser mais graves, causando sintomas generalizados, como enjoo, vômito, dor de cabeça, tontura, espasmo muscular e queda da pressão, suor, palidez, sonolência ou agitação. Em casos muito raros, a picada pode causar arritmias e parada cardíaca, havendo risco de morte. As mortes por envenenamento por picada de escorpião são mais comuns em crianças.


Em caso de picada de escorpião, os primeiros socorros são:

  • Lavar o local da picada com água e sabão;
  • Manter o local da picada voltado para cima;
  • Não cortar, furar ou apertar o local da picada;
  • Beber bastante água;
  • Dirigir-se, imediatamente, à unidade de saúde mais próxima.